quinta-feira, 11 de setembro de 2014

All I Want Is You - Capítulo 7


[Quer ler a fic em versão interativa? Clique aqui]

“Só lembre-se de que, às vezes, o que você pensa de uma pessoa, não é o que ela realmente é”.
- John Green.
           
Eu estava em dúvida se prendia o cabelo ou se eu o deixava solto. Optei pela segunda opção.
Fui até meu espelho e terminei minha maquiagem. Fiz uma coisa bem leve. Apenas passei delineador puxado levemente para cima, batom vermelho e um pouco de blush. Certo, talvez não tão leve assim... Eu usava um vestido preto, ele era regata e justo da cintura e um pouco rodado na cintura, usava um salto mediano e brincos prateados brilhantes. Meu cabelo estava repartido do lado, jogando minha franja toda para o lado. Eu estava bonita.
Olhei para Beatrice, que estava já pronta. Ela jogava algum joguinho no celular. Ri sozinha, aquela menina era viciada em jogos. Tris usava uma blusa branca folgada, também usava uma saia preta, mas era justa. Estava simples, mas bonita. Usava um óculos com armadura grossa preta, a deixando com um ar geek, no bom sentido. Peguei minha bolsa de mão, que pelo tamanho se parecia mais ou menos uma carteira, colocando apenas meu celular lá dentro.
- Vamos? -Perguntei. –
- Pai amado, é hoje que você mata todo mundo do coração. –Elogiou Tris, sorrindo. –
Gargalhei.
- Olha quem fala, não é. Sua nerd sexy.
- Isso soou muito lésbica para o meu gosto. –Disse risonha, enquanto se levantava. –
Revirei os olhos, me olhando no espelho novamente. É, dava para o gasto.
- Clarissa está pronta? Vamos nos atrasar. –Franzi o cenho, preocupada. –
- Você sabe como ela é. –Escondeu um sorriso. – Quer ficar bonita para impressionar Jace.
Essa era minha irmã...
Não podíamos esperar outra coisa, não é? Balancei a cabeça negativamente, enquanto ia a seu quarto.
- Vamos logo, já estamos atrasadas, Clary. –Comentei, brava. –
- Relaxa, já estou pronta.
Assim que apareceu em meu campo de visão eu e Tris a olhamos boquiabertas. Clary estava... maravilhosa. Usava o cabelo preso em uma trança de lado, meio desarrumada. O vestido era tomara-que-caia vermelho sangue, folgado, então ela usava um cinto fino preto na cintura. Usava uma jaqueta preta aberta com um colar prata. E nos pés calçava botas curtas de salto. Estava linda.
- Tudo isso é para o Jace, é? -Provoquei. –
- Cala a boca. –Escondeu um sorriso. – E você, por que está tão arrumada assim? -Atacou, enciumada. –
- Credo, Clarissa. –Briguei. – Como você é ciumenta. Sabemos que o Jace é todo seu, relaxa.
Minha irmã ficou vermelha como um tomate. Eu e Tris riamos sem parar. Depois de muitos xingamentos, zoações e etc., fomos para o carro. Clary dirigindo, eu no banco do passageiro e Tris atrás. Fomos em silêncio, até a casa de Jace. Apenas escutávamos as músicas que passava na rádio. Hoje graças a Deus não teve escola, como eu amava sábado. Eu não entendia o porquê das pessoas preferirem sexta, sendo que sexta tinha aula. Eu amava sábado, pois não tinha aula e era tão animado quanto sexta.
Depois de alguns minutos, chegamos. Jace morava em uma bela casa branca. Era gigante. Tinha dois andares e um jardim do tamanho da minha casa. Clary achou uma vaga ali perto e descemos, com os presentes. Cada uma tinha comprado um. Eu conhecia a Sra. Wayland, mas não tão bem assim, então comprei um perfume. Beatrice tinha comprado uma blusa básica, mas bela. E minha irmã... Bem, eu não sabia. Ela não nos disse, mas eu suspeitava que fosse uma joia, já que a sacola era de uma loja de joias.
Certo, essa última observação foi meio ridícula.
Toquei a campainha e logo a porta se abriu. Sra. Wayland estava linda como sempre. E sorria docemente para nós. Eu fui a primeira a parabenizá-la, dei parabéns e aquela coisa toda. Depois foi Tris e enfim Clary. Assim que as duas se abraçaram, choraram emocionadas. Foi uma cena bonita, mas não pude deixar de pensar que minha irmã era uma exagerada. Depois ela disse que o pessoal estava lá no fundo. Cumprimentamos todos os adultos presentes e então fomos até nossa “turma”.
Tinha alguns garotos da classe de Jace, que eu desconhecia. Algumas garotas, que se pareciam com ele, então constatei que eram suas primas. E para minha surpresa, Dylan estava lá. O olhei surpresa, mas ele estava conversando com uma das primas de Jace. Cerrei os olhos, brava.
Não, eu não sou do tipo namorada ciumenta, mas não gosto quando meu namorado está de gracinha com outra garota que não sou eu. Que palhaçada, porra. Fui primeiro falar com Jace, antes de acabar com aquilo.
Jace estava um gato. Usava calça jeans e uma blusa social aberta. Os cabelos loiros estavam para trás e ele conversava com algum amigo. Ria abertamente, mostrando seus dentes perfeitos.  Olhei para Clary e fiz uma joinha com o dedo, como se dissesse “escolheu bem”.
Ela quase me matou. Nenhuma surpresa.
- Depois eu que sou sexy. –Brinquei, rindo. –
- Pequena! –Ele se aproximou, me abraçando forte. –
- Oi, Jace. Está gatão, hein.
- Você também está linda.
Ouvimos alguém pigarrear, era Clary. Ela ficou vermelha, assim que se deu conta do que fez. Eu ri abertamente, saindo dali. Os dois se encararam, sem saber o que fazer. No final, trocaram um aperto de mãos. Por iniciativa da minha irmã, mas no final, ele a puxou para um abraço.
- Awn. –Ouvi Tris murmurar emocionada em meu lado. –
Sorri para aquela cena tão fofa. Mas meus olhos se desviaram para meu namorado. Dylan nem tinha se dado ao trabalho de me cumprimentar. Deixei um suspiro raivoso escapar. Tris seguiu meu olhar e me olhou com pena. Bem, pena e raiva.
- Quem é a vadia? -Rosnou. –
Tris tinha se tornado um pouco protetora desde que aconteceu a mudança repentina de Bieber. Nós duas ficamos protetora uma com a outra, para falar a verdade. Balancei a cabeça, indicando que eu não sabia. Minha melhor amiga jogou o cabelo para trás e em uma posição de pura confiança caminhou até os dois. Para evitar desastres, a segui.
- Oi, Dylan. Quanto tempo! Não cumprimenta mais os amigos? -Ela sorria. –
Digamos que não era um sorriso bom.
Dylan levantou em pulo. Sorriu para nós duas. Primeiro abraçou Tris, mas ele não foi correspondido. E então quando veio me abraçar, eu apenas recuei.
- Oi, meninas.
Nós duas apenas o encaramos. Furiosas. Bem, eu estava incomodada, mas não furiosa. Já Tris... Ela parecia que estava com raiva por mim e por ela.
- Oi, Huston. Não vai nos apresentar sua amiga?
- Ah, claro. –Ele pareceu constrangido. – Essa é...
A menina o interrompeu, sorrindo amigavelmente.
- Sou Geórgia, prima de Jace.
- Hm, sei. Eu sou Beatrice. E essa aqui é a (Sn), namorada de Dylan. –Sorriu, maldosa. –
- Namorada? - Perguntou surpresa. – Você não me disse que tinha namo...
Dylan a interrompeu, parecendo estar desesperado para sair do assunto. Deixando-me mais nervosa ainda.
- Que sede. –Sorriu, nervoso. – Alguém quer comer alguma coisa?
- Não seria beber? - O corrigi, séria. –
- Foi isso o que eu disse.
- Não. –Tris se intrometeu. – Não foi.
- Ah, não? Bem, me confundi. Estou indo beber, então...
E ele saiu de lá praticamente correndo. Idiota. A menina nos olhava com vergonha.
- Me desculpem, eu não sabia mesmo...
Dispensei suas desculpas com minha mão.
- Está tudo bem, não foi sua culpa.
Dylan estava muito estranho e aquilo estava começando a me incomodar.  Algo me dizia que eu já sabia o que estava acontecendo, mas eu estava ignorando aquilo. Devia ser paranoia.
Ela sorriu, se desculpando novamente e voltou a conversar com suas primas, irmãs, sei lá.
Eu e Tris nos entreolhamos e fomos até um sofá que estava vazio, sentando ali mesmo. Assim que nos acomodamos, chegou mais gente. Eu e Tris ficamos tensas.
Justin Bieber e Ângela Thompson tinham chegado à festa. Bieber estava lindo, como sempre. Ele parecia confiante, como se nada pudesse abalá-lo. Instantaneamente, senti falta daquele garoto que era tímido e envergonhado. Engoli a merda do choro.
Eu estava cansada de chorar. Eu estava cansada de sofrer.
Ângela parecia que tinha saído de uma boate só de prostitutas. E provavelmente era isso que tinha acontecido... Parei. Ela usava um mini vestido vermelho sangue com salto agulha preto. Maquiagem absurdamente forte e chamativa. Os cabelos loiros lisos até a cintura e para completar, usava argolas gigantes nas orelhas.
Ela parecia entediada de estar ali e não escondia isso. Enquanto Justin conversava com Jace, ela revirava os olhos, impacientemente.
Desviei os olhos. Ninguém merecia aquilo. Tris apertou minha mão, como se dissesse que tudo ficaria bem. Só que nós duas sabíamos que aquilo não era verdade, tanto que sua mão tremia. Jace voltou a conversar com seus amigos e Clary veio sentar com a gente. Vi que Justin cumprimentava cada pessoa. Com abraços e beijos. Ângela também, mas tudo nela parecia falso, principalmente à cara. Revirei os olhos, enjoada. Dylan já estava de volta, com um copo cheio de alguma coisa. Ele esbarrou em Justin. Quando eu pensei que os dois se cumprimentariam felizes, Justin apenas o fuzilou com os olhos. E se ele pudesse matar com um olhar, Dylan estaria morto nesse exato momento. Estranhei aquilo, afinal, eles sempre foram amigos. Justin deu um passo para frente, como se fosse bater em Dylan. Porém, pela primeira vez na vida, Ângela fez algo que prestasse. Ela se colocou entre os dois e disse algo ao Bieber, que não o acalmou, mas desistiu de bater em Dylan. Zangado, Bieber continuou a cumprimentar as pessoas. Meu namorado apenas recuou, assustado e um pouco... desesperado.
Não estava entendendo nada.
Ignorei e continuei a conversar com as meninas. Clary estava contando alguma fofoca, mas eu apenas fingia prestar atenção. Justin cada vez se aproximava mais com aquela vaca, ao seu lado. Belisquei minha irmã discretamente, avisando que os dois estavam próximos. Nós nos entreolhamos, sem saber o que fazer. Mas não tínhamos tempo para pensar, Justin já estava em nossa frente.
Ele não nos abraçou, não nos beijou nem nada do tipo. E se fizesse isso, acho que vomitaria com o tamanho da falsidade. Apenas balançou a cabeça, como se isso fosse um cumprimento.
- Oi. –Disse. –
- Oi. –Clary, respondeu, quando nem eu nem Tris falamos nada. –
Ele continuava ali, parado. Olhando-nos. Olhando especificamente para mim. Tris ao meu lado estava inquieta. Eu também não estava lá muito confortável, ainda mais com a víbora de sua namorada me olhando com desprezo. Só Deus sabe como eu me segurei para não descer a porrada em sua cara.
- Você está bem?
Eu podia esperar tudo dele, menos essa pergunta. O olhei surpresa.
- Por que eu não estaria? -Perguntei, surpresa e confusa. –
E então foi ele que nos olhou confuso. Franziu a testa, não entendendo. Eu estava boiando legal. As meninas também pareciam confusas.
Assim que ele ia abrir a boca, Dylan apareceu do nada, atrás de mim.
- Oi amor, peguei água para você. Desculpa a demora. –Falou rapidamente, parecendo nervoso. –
- Eu não te pedi...
- Pediu sim, amor. –Ele me interrompeu. -
Justin olhou para Dylan e depois para mim por alguns minutos, até que deu um passo para trás, parecendo entender tudo. Algo estava muito errado.
- Você não... –Justin começou, mas Dylan o interrompeu. –
- Cara, o que ainda está fazendo aqui? Se manda.
Bieber pareceu que ia esganá-lo, mas Clary interrompeu a discussão toda.
- Que merda está acontecendo, posso saber? -Questionou irritada. –
- Pergunta para o Dylan. –Sorriu frio. – Eu estou indo.
E então sem olhar para ninguém, saiu de lá puto da vida puxando Ângela consigo. Olhei confusa para meu namorado.
- O que foi essa cena toda?
- Nada... Nós apenas tivemos um desentendimento.
Agora percebi que Dylan estava com a boca um pouco inchada e roxa, como se ele tivesse apanhado. Levantei-me rapidamente, me esquecendo de que estava brava com ele.
- O que aconteceu...
- Nada, nada. –Sorriu, pegando minha mão. – Eu mesmo me machuquei.
Aquela era a pior desculpa, depois da “Não é você, sou eu.”. Olhei para ele deixando claro que não acreditava em nada daquilo, mas que deixaria passar. Odiava quando eu era pressionada, então não fazia isso com ninguém. Quando ele estivesse preparado, ele que contasse a verdade sem problemas.
Ele me abraçou forte e me deu um longo beijo na testa.
- Me desculpa.
O abracei mais forte.
- Você não fez nada de errado.
Viu? Eu era uma boa namorada. Fiz carinho em seu rosto. Ele colou nossas testas e ficamos nos encarando.
- Me desculpa também. –Pedi. -
- Por...
- Eu não estou sendo uma namorada tão boa. A gente mal se falou. Desculpa-me, tá? Eu só estou chateada com esse negócio do...
Ele me interrompeu.
- Está tudo bem, eu entendo. De verdade.
Sorri carinhosa. Dylan podia pisar na bola às vezes, mas eu gostava dele. De verdade. Ele se aproximou grudando nossos lábios. Fazia tempo que nós não nos beijávamos assim. Fazia tempo que a gente não se beijava, na verdade. Aprofundei o beijo, mas paramos assustados assim que ouvimos um barulho alto. Justin nos olhava com raiva, com uma taça quebrada na mão.
Antes que eu falasse alguma coisa, antes que minha irmã falasse algo - por que convenhamos, ela não ficaria de boca fechada- Ângela deu um berro que acho que deu para ouvir lá de marte.
Eu me assustei, pois por alguns minutos tinha me esquecido que ela estava na lá na festa. Acho que todos se assustaram. Justin a olhou, com os olhos arregalados.
- O que foi? - Ele perguntou. –
Ela o olhou furiosa. Tão furiosa quanto aquele dia anos atrás quando Clary desceu o cacete nela. E eu também.
- Você derrubou bebida em mim, seu idiota! –Gritou, esganiçada. –
- Desculpa. – Ele se desculpou. Parecendo realmente arrependido. –
Ele estava branco e sua raiva tinha desaparecido, dando lugar ao arrependimento. Patético.
- Você sabe quanto custou esse vestido? Sabe, Justin Bieber? -Rosnou. –
Olha, não me entenda mal, eu tentei, juro que tentei ficar calada. Ficar na minha. Só que não deu.
Quem ela achava que era para falar assim com ele? Ângela era uma imbecil e mesmo que eu estivesse com raiva de Bieber, não o deixaria ser tratado com um escravo. Não deixaria humilhar ele de novo.
Soltei-me de Dylan, que me olhou apreensivo, já adivinhando o que eu ia fazer.
- Aposto que você comprou o brechó, então nem venha fazer escândalo, minha filha.
Não sei quem ficou mais surpreso com a minha explosão de raiva, Justin ou Ângela. Só quem eu estava nem ai, não deixaria aquele resto de aborto tratar Justin como se ele fosse um nada.
Não mesmo.
- Não se mete, garota. –Ela bufou. – O assunto não é com você.
- É comigo sim. Quando você se mete com meus amigos, você se mete comigo. É assim que funciona. Não te culpo por não saber, afinal, você não deve ter nenhum amigo de verdade.
Ângela grunhiu e deu um passo em minha direção. Sorri com isso. Ela ainda achava que podia me enfrentar. Coitada.
Dylan me puxou para trás assim que ela se aproximou mais. Olhei feio para ele e me soltei. Sei que suas intenções eram boas, mas nunca se pode recuar em uma briga. Certo, eu sou muito má influência.
- Cala a boca, você não tem moral nenhuma para falar de mim. Afinal, não foi seu melhor amigo que me escolheu ao em vez de você? Quem é você para falar de amizade verdadeira?
Aquela tinha doído. Realmente, Ângela não perdoava uma. Ela pegava na ferida mesmo. Agora que eu não ia recuar mesmo.
- Não importa. –minha voz estava um pouco trêmula. – Eu o considero meu amigo, então vou defendê-lo até o fim. Amizade verdadeira é isso, Ângela, mesmo depois de várias brigas, ficamos ao lado dele.  Mesmo que ele esteja errado. –Olhei sugestivamente para Bieber, que me olhava boquiaberto. –
Ela ia retrucar, mas eu a interrompi.
- Todos cometem erros. –Suspirei. – No final das contas, todos nós vamos magoar uns aos outros. Talvez por acidente ou não, mas é assim que a vida segue. Amizade é conhecer os defeitos da pessoa, mas mesmo assim amá-la. Amizade é reconhecer que a pessoa pisou na bola, mas que mesmo assim continuamos ao lado dela. Amizade é ficarmos ao lado da pessoa que consideramos amiga nos momentos bons e principalmente nos ruins. Amizade é uma coisa complicada, mas que vale a pena cada segundo.
Todos ficaram em silêncio.
- Ele é um garoto maravilhoso e você tem muita sorte de tê-lo. –Continuei. – Eu sei que você só está com ele para me machucar, mas se conhecesse ele de verdade, se deixasse essa vingança de lado, você com certeza veria que é uma garota sortuda. Olha só para ele. –Apontei para Bieber. – Ele é totalmente apaixonado por você. Sempre foi e provavelmente, sempre vai ser.
Doía falar tudo isso, mas eu precisava. Eu precisava desabafar. Precisava fazê-la ouvir. Precisava fazê-la enxergar.
- E me irritada profundamente você jogar no lixo esses sentimentos maravilhosos como se fosse nada. Daqui a alguns anos você perceberá o erro que cometeu. Por que vamos falar sério, Justin pode ser um pé no saco, às vezes, mas ele é um cara maravilhoso. Por dentro e por fora. E isso me chateia, sabe? Me chateia de verdade que você não possa enxergar isso. Eu não gosto de você. Nem um pouco. Só que ele sim. E respeito essa escolha. Não podemos mandar no coração. Ele não me escolheu, mas escolheu você.
Dei um passo para trás.
- Como eu disse antes, amizade é uma coisa maravilhosa e eu sei que a minha e a dele foi verdadeira. –Dei um sorriso fraco, segurando as lágrimas. - Mas infelizmente, tudo acaba. Entretanto, não é porque nossa história tenha tido um fim que não tenha sido verdadeira. Ela foi, pode apostar. E eu vou guardá-la para sempre. É uma pena que ela tenha acabado assim... Porém, de uma coisa eu sei: eu não me arrependo de nada.
Fui até a cadeira que eu estava sentada, peguei minha bolsa e joguei meu cabelo para frente, tentando tampar minha cara. Ou melhor, minhas lágrimas que estavam prestes a cair.
- Diga a sua mãe que sinto muito por não ficar até o parabéns. –Falei a Jace. –
Depois disso saiu de lá sem dizer nenhuma palavra a ninguém. Passei pela porta correndo e caminhei apressadamente. Minha casa não era longe, por isso eu não me incomodava de ir a pé. Era noite e isso podia ser perigoso, é verdade. Só que eu tinha outra saída? Não.
Paciência. Eu teria que correr o risco. Às lágrimas já caiam, por mais que eu tentasse segurá-las. Eu sabia que Ângela continuaria a tratá-lo mal, mesmo depois do meu lindo discurso. A verdade é que pessoas como ela não mudam. O que é uma pena.
Ouvi passos apressadamente atrás de mim, mas não me assustei. Eu sabia quem era pelo perfume. Fechei meus olhos com força. Não, isso era realmente sério?
- Espera...
Olhei para ele, nem me dando ao trabalho de secar as lágrimas, ele sabia que eu estava chorando, então para que esconder?
Justin parecia arrasado, assim como eu.
- Eu...
- Você? - Incentivei. –
- Eu não quero que acabe.
Sua voz estava ligeiramente trêmula e falha. Assim como a minha.
Eu também não queria que tivesse acabado, mas não temos tudo o que queremos. Nossa história já tinha dado o que tinha que dar. Eu sentiria falta dele por um tempo, mas eu superaria. Era sempre assim, não é? Se todo mundo segue em frente, por que eu não? Ele fez as escolhas dele, assim como eu fiz as minhas. Podíamos nos tornar amigos de novo depois de um tempo, mas por enquanto, era melhor ficarmos afastados.
Deixei mais lágrimas escaparem de meus olhos.
- Tarde de mais. –Suspirei. – Já acabou.
Virei-me novamente e continuei andando. Não olhei para trás, mas sabia que ele continuava me olhando. Não me seguia mais, mas continuava a me observar de longe.
Hoje era uma das piores noites da minha vida, pois hoje era o dia em que eu tinha desistido definitivamente de Justin Bieber.
Agora, podia até parecer o fim do mundo. Porém, eu tinha certeza que eu seguiria em frente, algum dia.

Pelo menos, eu esperava que sim.

-------------------------------
Pois é, chega de capítulos triste e depressivos! Agora vamos mostrar para o Justin quem é que manda na relação sasoajisahusg Comentem, baby's <3 Amo todas vocês! Quem aí tem whats? Se alguém tiver, manda por aqui para eu adicionar vocês! Ps: dia 26 de setembro é meu niver, quero textinho, hein u.u hahaha 
Resposta dos comentários: aqui
Bjs

5 comentários:

  1. nossa,chorei muito com esse cap.,Justin é um completo idiota...esta ótimo,continua please...amei....
    Meu número: 71 8759-8493
    o seu niver é no mesmo mês que o meu...meu aniversário é 17 de setembro :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UM IMBECIL, NÉ?????????????? E chora não, poxa <3 hahahaha Muito obrigada, amor!
      Vou te chamar lá no whats e uhul, fazemos niver perto

      Excluir
  2. OMG! QUE PERFEITO estou a chorar um rio com esta capitulo depois que perde Bieber a quer de volta como amiga assim não da, ai meu core eu não estou bem X( EEEEEEEEE seu niver está próximo pode deixar que vou caprichar no texto ú.ú kkkk o meu é 27 de novembro...o Show da Cyrus você vai? Estou a surtar com isto não acredito está tão próximo :') quanta emoçaum my number: 21 997284826 The Mission Of My Life por favor já não consigo mais ficar sem esta fic perfeita :3 Melhor todas as suas fics são perfeitas e pronto ú.ú continuaaa por favor (Natty's Here)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sem contar que Chains - sua songfic ficou maravilhosa <3 eu ameiii de verdade

      Excluir
    2. NATTY <3 Obrigada, linda! Socorro, chora não suahsuahs Justin idiota, mereceu.... parabéns atrasado, amor! E eu não fui no show da Miley não, você foi? Vou te chamar lá no whats <3 E logo, logo tem att de TMOML <3 hsauhsuahs OBRIGADA DE NOVO, NATTY! VOCÊ É UM AMORRRR.
      Fico feliz que tenha gostado de Chains =')
      Bjsss

      Excluir

obrigadaaa por comenta
espero que tenham gostado bjbj