quinta-feira, 14 de agosto de 2014

The Mission Of My Life - Capítulo 4


           


(Sn) arrumava sua mala apressada. Estava atrasada, como de costume. E o pior é que ela nem sempre foi assim. Podia ser mal humorada, mas era responsável quando o assunto era seu trabalho. Por incrível que pareça. Mas o cansaço a consumia e cada vez ela tinha mais e mais missões, sem pausas ou férias, então ficava muito cansada. E isso prejudicava sua rotina.
Terminou sua terceira mala, jogando sapatos de marcas lá dentro, junto com vários estojos de maquiagens. Olhou no relógio e viu que tinha apenas vinte minutos. Saco.
Foi até seu espelho e passou as mãos em seus cabelos castanhos com pêsame, já que daqui a alguns minutos ele viraria loiro. Não se incomodava em cortá-lo, mas mudar de cor? Bem, aí já era outro papo. Foi até seu quarto e pegou as malas, levando as para sala. Deixou tudo lá e depois pegou sua bolsa preta, junto com as chaves. Trancou a casa e saiu de lá o mais rápido possível. O lado bom era que o salão de beleza era perto de sua casa, o ruim era que era em frente ao salão de Justin.
Já não bastava aguentá-lo no trabalho...
Minutos depois, chegou ao salão. Entrou já se desculpando pelo atraso, mas Kenny, seu cabeleireiro, foi um amor, falando que não tinha problema e que isso acontecia mesmo. Ela explicou como queria seu cabelo. Ou seja, pintá-lo de loiro, alisá-lo e em seguida colocar um aplique para que ficasse até o umbigo. Não gostava de cabelos muito longos, em geral, atrapalhava. Porém, lideres de torcida usavam o cabelo nesse cumprimento. Era realmente bonito, mas dava trabalho para cuidar.
- Vai mesmo fazer progressiva, honey? Isso é praticamente um pecado! Seu cabelo é tão lindo assim ondulado...
Ela suspirou, chateada. Gostava de seu cabelo e não queria colocar química nele, sabia que isso o destruiria ainda mais que ela o pintaria. Mas, não tinha outra escolha. Maldito seja Ryan...
- Fiz uma aposta com a minha amiga, agora vou ter que cumprir... –Mentiu. –
- Vamos olhar pelo lado bom, Darling! Você ficará linda loira.
- Tomara.  –Sorriu. –
Kenny começou o trabalho, primeiro descoloriu o cabelo e então passou a tinta. O loiro que ela usaria em seu cabelo não era tão escuro, nem tão claro. Era um tom meio dourado. Logo depois ele secou e fez à progressiva. Demorou bastante tempo. E em seguida ele aplicou o aplique.
Assim que terminou, Kenny mostrou o resultado para a menina. Assim que ela se olhou no espelho... Mal se reconheceu. Já tinha usado peruca loira várias vezes, a maioria no estilo Mary Monroe. Tinha que admitir, estava linda. Passou a mão pelos seus cabelos agora longos e sedosos e sorriu. Estava, com certeza, uma típica patricinha de Beverly Hills. Oh, quem diria.
Kenny, que estava atrás de dela, sorria largamente. Tinha ficado melhor que o esperado!
- Você vai enlouquecer muitos homens, sweet heart.
Ela riu e se levantou, beijando sua bochecha.
- Obrigada, Kenny! Você é o melhor, sem dúvida alguma.
A menina pagou e enfim se despediu de seu, magnifico, cabelereiro. Saiu se sentindo outra pessoa. Jogou seu longo cabelo para trás e colocou seus óculos escuros de marca. Apertou-se contra seu sobretudo e caminhou lentamente pelas ruas calmas de Londres. Até que ouviu uma voz atrás de si.
- Quer me matar do coração, Kamana?
(Sn) rolou os olhos, se virando contra vontade. Lá estava Bieber, com seu típico sorriso malandro, roupas estilosas e seus olhos cor de mel brilhando. Era uma pura tentação... quando estava calado.
- Ficou bonito moreno, Patrick. –Frisou, fazendo o garoto sorrir sem humor. – E que merda é Kamana?
- Eu andei estudando Hindi, sabe, é uma língua muito bela. Kamana significa o lindo desejo que eu aspiro acima de todos os outros. É um belo apelido, não acha? Já que vamos ser namorados...
- Nem me venha com esse papo, só de pensar nisso já sinto meu almoço subindo.
- Você é tão doce, minha amada.
- Pare de me chamar assim. –Ela se irritou. –
- Assim como?
- Com esses apelidos melosos!
- Você é tão chata, (Sn)zinha.
- Vá tomar no cu, Bieber.
Ela bufou e se virou de novo, caminhando em direção a sua casa. No entanto, ela sabia que ele não desistiria tão fácil. O conhecia há muito tempo e sabia que encher o saco dela estava no topo da lista de coisas que ele amava fazer.
- Você se estressa muito fácil, baby.
(Sn) apenas se limitou a olhá-lo com o seu olhar típico de “cale a boca, idiota!” E então voltou seu olhar para frente. Justin apenas sorriu e continuou a caminhar em seu lado. Estava se achando com seu cabelo preto, sabia que tinha ficado lindo com ele. Ainda mais com seu corte novo, agora não usava mais um topete, seu atual penteado era usando o cabelo para trás, o deixando com um ar sexy.
Mais que o normal.
Caminharam em silêncio por minutos, até (Sn) parar em frente a sua casa. Olhou para Bieber, que estava ao seu lado, sorrindo largo. Segurou-se para não meter um soco em sua cara.
- Posso saber o que veio fazer até aqui?
- Vim trazer minha namorada em segurança, oras. O dia está muito perigoso hoje em dia, amor.
Fala sério, pensou (Sn). Ela não merecia isso...
- Já estou em segurança, Bieber. Pode ir agora?
- Não ganho nenhum beijo?
- Toma vergonha na cara, garoto!
Ela entrou na sua pequena casa, fechando a porta da cara do menino, mas o ouviu gritando “Me liga” Apenas se limitou a rolar os olhos. Justin era mesmo um imbecil.
Mas ela, no fundo, gostava da companhia daquele imbecil. Só que, claro, nunca admitira isso em voz alta.

+++
            Justin acordou com disposição. Um belo de um milagre...
Os dias passaram voando e quando viu era o dia da tão esperada viagem. Recebeu uma mensagem de Ryan, avisando para ir para o aeroporto e não podia se atrasar. Todos pegariam vôos diferentes. Menos Justin e (Sn), que pegariam o mesmo voo, já que eram namorados. Sorriu, ao ler a mensagem. Sabia que quando (Sn) descobrisse, ficaria pê da vida.
Droga, ele queria ver a cara de emburradinha que ela faria...
Jogou suas malas no porta-malas de sua Ferrari e entrou, checando sua aparência no retrovisor. Estava um pecado! Acelerou, em direção ao aeroporto. Mas antes, resolveu fazer uma surpresinha...
Depois de algum tempo, lá estava Justin buzinando em frente à casa da Parker. Ele viu que ela ainda não tinha saído de lá, pois a casa estava acesa. Enquanto esperava a mulher sair, verificou suas lentes pelo espelho. Credo, como aquilo incomodava!
Depois de minutos –que pareceu horas. – uma linda mulher loira com olhos azuis saiu segurando varias malas rosas. Ela vestia um vestido justo preto e por cima usava um sobretudo branco.
Oh, certo, ela sim que estava um pecado. Céus, que mulher...
(Sn) estava bem diferente do normal, parecia realmente outra pessoa. Estava irreconhecível. Ele preferia de longe mil vezes ela do jeito normal, mas assim também estava linda. Quando viu o carro de Bieber ali embicado na calçada, não acreditou.
Realmente, Justin Bieber era imprevisível.
- Olá, namorada. Entra aí, não podemos perder o vôo.
A menina sorriu, ainda não acreditando naquilo. Ela não tinha muita escolha, afinal. Iria de moto e com certeza, suas três malas e uma de mão não caberiam nela. E pegar um táxi era muito exaustivo... e caro. E lá estava Bieber, com seu cabelo preto e seus olhos verdes, postiços. Ele usava uma blusa branca em “v”, calça jeans e uma jaqueta preta. E claro, seus óculos escuros. Um verdadeiro badboy. Um verdadeiro heartbreaker. Nenhuma garota com juízo completo não cairia nos encantos dele.
Porém, Parker estava longe de ser como as outras garotas e estava mais longe ainda de ter juízo.
Por isso apenas sorriu de lado, aceitando a derrota e levantando as mãos em rendição.
- Pelo menos essa foi uma surpresa útil.
- Eu sou bem legal, pode falar.
- Nem começa, Bieber.
Ele a ajudou a colocar as malas no carro e então os dois entraram no carro e foram rumo ao aeroporto. (Sn) olhava a paisagem bela de sua cidade amada através do vidro. Toda vez que uma missão estava chegando, ela ficava meio melancólica. Pois sabia, assim como todos os agentes que corriam o risco de nunca mais voltarem delas.
Justin dirigia tranquilamente, enquanto uma de suas músicas favoritas tocava na rádio. Ele cantarolava suavemente, fazendo seus cabelos balançarem no ritmo da música junto com ele. Olhava às vezes pelo canto dos olhos como estava sua parceira. Ela parecia meio longe e até um pouco deprimida. Ele a conhecia o suficiente para saber por que ela estava assim, por isso tirou uma das mãos do volante e colocou em cima da dela, suavemente. A mulher, ao em vez de retirar violentamente a mão, como ele esperava, mas deu um sorrisinho e voltou a olhar a paisagem.
E assim foi até o aeroporto. O silêncio dominava no carro, mas as mãos continuaram entrelaçadas até o fim do trajeto.
+++

A viagem tinha sido cansativa. O voo tinha atrasado, fazendo ambos já se irritarem. Fora que era uma viagem longa, que durava mais ou menos dez horas e trinta minutos.
Felizmente, os dois sentaram-se um ao lado do outro. Ficaram na primeira classe, afinal Brooke Sanders era rica. Assim como seu namorado. Fora tudo isso, a viagem tinha sido ótima. Apenas quando teve turbulência que Justin quase teve um ataque do coração. Ela teve que segurar sua mão e acalmá-lo. Só depois quando ele ficou bem (Sn) começou a irritá-lo, falando que ele não tinha medo de encarar dez homens armados, mas tinha medo de uma pequena turbulência.
Justin ficou de cara feia até o final do vôo. (Sn) não ligou muito, apenas riu da infantilidade de seu parceiro. Quando chegaram em terra firme, foi um alivio. Por mais que (Sn) não admitisse, ela também não gostava muito de aviões.
Depois que resolveram tudo por lá, pegaram um táxi e deram o endereço da faculdade. Ambos estavam nervosos, por mais que não demonstrassem. (Sn) estava mais insatisfeita do que nervosa. Odiava os universitários, eles se achavam os donos do mundo, ou melhor, os “deuses.” Achavam que eram imortais. Achavam que sabiam de tudo, mas não sabiam de nada.
Ela que já tinha presenciado cenas de mortes, de tortura e de outras coisas imagináveis, não sabia. Imaginem eles?
O táxi parou em frente a grande e bela universidade, chamando a atenção dos dois. Justin sacou da carteira seu novo cartão de crédito, cujo estava com seu nome “atual”, Patrick Adams. Pagou o motorista, tirou todas as malas do porta-malas, com a ajuda do mesmo e então olhou para (Sn), que olhava tudo meio receosa. Sorriu indo até em direção à garota, entrelaçando sua mão com à da mesma com a dele.

- Bem vida a Califórnia, namorada. –Disse, sorrindo. – 

------------------------------
E aí, gente gataaaaaa. Estou chateada, fiquei em recuperação em duas matérias e não consegui me recuperar em nenhuma delas. (Matemática e química matéria do capeta) :(((( Vou fazer de tudo para ir bem nesse semestre, bimestre, eu sei lá... Só sei que não quero ficar de recuperação final, sério. Enfim, espero que tenham gostado desse capítulo, pois eu amei escrevê-lo! Estou mais deprimida ainda, porque o blog está com pouquíssimos comentários. Qual é, gente :( Assim fico magoada. Comentem, não custa nada, vai!


Respostas dos comentários: aqui


6 comentários:

  1. Natty´s Here Baby, WOL você acaba de despertar ainda mais minha curiosidade porque se faz isso hein????
    Cara muito perfeito é um capitulo superando o outro essa Fic sem mais nem menos é a melhor cara, mentira todas as suas Fic são as melhores que já li em toda a minha vida :3 eu estou xonada por esse cap. e ao mesmo tempo triste pela agente Parker e seu cabelo :'( ela era tão linda morena...
    Realmente, um super fato matemática e química são matérias do capeta acredite também sofro com essas porque senhor dai-me paciência parar aturar véi... Bieberkisses mana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amorrrrrrrrrr <3 hauhauah já disse, sou má!
      Obrigada, Natty! Sua opinião é muito importante para mim e socorro, que fofa! Fico muito feliz em saber isso. POIS ÉÉÉÉÉ, WHY? Porém, foi preciso... A vida de agentes secretos não é moleza não hahaha
      Sim, matemática é a PIOR matéria ever. Química também, mas acho que matemática ganha, viu...
      Bjs!

      Excluir
  2. AH MEU DEUS é muita emoção pra uma Helen Só Querida lol mas Em Fim.WOW Amei esse Final Divo e Maravilhoso AMEI Sem palavras,Agente Parker e Bieber Juntos Hm..,Eu pensei que iria sair o primeiro beijo deles nesse capitulo-que por sinal. entrei toda hora aqui pra vê se tinha postado-mas não saio lol tudo bem,Ah Eu tbm fiquei em recuperação em matemática e só foi essa matéria acredita ? >< ' vamos nós recuperar se Deus Quiser (::, palavras pro capítulo bye >< '. Kisses I love u

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HELEN DIVAAAAAA <3 hahahaha ai, socorro <333 fico muito feliz que tenha gostado e pois é, eles formam um dupla maravilhosa, né? hahaha Naaah, a (sn) é mais difícil ainda do que aparenta ser. Justin vai ter que ralar muito... hauahua
      Sério? que sorte hsuahsua eu fiquei nessas duas. Que nesse bimestre conseguiremos recuperar, amém.
      Obrigada pelo comentário lindo, amor! Love u too
      Bjsss

      Excluir
  3. Amei esse capítulo de paixão haha.
    Na verdade amo capítulos em terceira pessoa. Não sei porquê, mas amo.
    Essa fic é tão boa quanto as outras que você escreve. Qual é,meu Deus, você escreve MUITO bem. E eu imaginei eles com a transformação e bom... Justin é um pecado de qualquer jeito, prefiro ele com os olhos mel, mas verdes devem ficar bem nele também. Tem algumas montagens dele com os olhos azuis e olhando é meio estranho, mas acostuma e ai ele fica gato. Ele é gato de todo o jeito, então eu só to me confundindo falando isso e confundindo você, im sorry.
    Enfim, estou ansiosa pelo próximo capitulo, e prometo tentar comentarrrrrrrrr.
    Até.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. GABSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS <3 Nunca me canso de ver você por aqui hahaha
      Sério que gosta? Eu também, dá impressão da fic ser mais ''profissional'' ahuhuash mas no meu caso, só parece mesmo. E ai, que linda! Fico muito feliz por você achar isso <3 Pois é, que homem. Também prefiro ele do jeito que ele é, mas com os verdes ele ficaria um arraso!
      Obrigada, baby! Ily. hahaha
      Bjsss

      Excluir

obrigadaaa por comenta
espero que tenham gostado bjbj