quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Cap. 3 - Dear Angel



15 anos atrás.
23 de outubro de 1998


Escolher é algo perigoso: quando escolhemos, temos que abrir mão de todas as outras possibilidades.
                                                                                                               
                       — 

  J.K. Rowling


- Sabe, eu estava pensando a gente já é velha de mais para brincar de boneca. -Reclamou Nora. -

-  Ah é, Nora? Então o que sugere?

- Que nós vamos a uma festa. E usamos aqueles saltos lindos e...

- Nora, nós temos 10 anos -gargalhou a menina. -

- E? Somos pré adolescentes.

- Vocês são fetos. -Disse uma outra voz. -

- Ah, chegou quem faltava. -Bufou Nora. - Não posso nem ficar mais sozinha com a minha melhor amiga.

- Primeiro: Amo você também e segundo: minha melhor amiga.

- Sua nada -rosnou- eu conheci ela primeiro e...

- Parem de brigar, eu sou melhor amiga dos dois. E Justin, você tem a mesma idade que nós.

- Só fisicamente.

- Verdade, só fisicamente por que mentalmente você tem... ah é, você nem tem cérebro. -Disse Nora irritada-

- Qual é, Grey, me odeia tanto por que?

- Não vou com a sua cara, simples assim.

- Você é...

- CHEGA! -Gritou (sn) bufando. -  Parem de brigar.

- Ele que começou. -Disse Nora. -

- Eu? você que começou a me insultar. -Disse Justin revoltado. -

- Você me chamou de feto.

- Chamei a baixinha também e ela não fez escândalo que nem você.

- Você me irrita, e coloca esse boné direito, parece um marginal!

- Tem medo de mim, Grey? -ele deu um sorriso maroto. -

- Arg! Eu vou para casa depois dessa, mais tarde te ligo, (sn). Boa sorte com esse ser.

E então saiu. Nora era vizinha de (sn). Seu pai era o melhor amigo do pai de Nora. E elas também, desde pequenas. Justin e Nora nunca se deram bem. Sempre se odiaram, ninguém sabia o porque.

- Ela é muito irritadinha, né Anjo? -Disse Justin abraçando ela. -

- Você provoca, Bieber. -Disse pegando seu boné, fazendo-o resmungar. -

- Provoco nada.

-Provoca e você sabe.

- Que se dane, ela merece.

-Olha a boca, Jus.

- Tá -revirou os olhos- Sua mãe tá te chamando.

- Ok.

A menina se levantou e Justin a seguiu. Passou pelo hall e lá estava sua mãe conversando com um cara que aparentava ter 30 anos. Foi até a mãe e quando ela notou a presença da filha pediu licença ao homem.

- Meu amor. -Disse a mãe a filha pegando ela no colo. - Oi para você também, pequeno Justin. -Sorriu. -

- Olá senhora Fray. -Sorriu. -

- Preciso de um favor dos dois.

- Pode falar. -Disse (sn).

- Podem ir até a loja do final da rua comprar um buquê de flores? Eu preciso para colocar na mesa do jantar de hoje... Eu não posso ir pois estou com convidados. Fariam isso por mim?

- Claro, mamãe.

- Claro, Senhora Fray. Sem problemas.

- Ótimo, e Justin, me chame de Clary. -Sorriu. -

- Qual flor é para comprar, mãe?

- Qual você achar a mais linda. -Sorriu. - E claro, com a aprovação do Justin.

A menina riu e a mãe a colocou de volta ao chão. Justin foi para o lado dela, enquanto a Clarissa dava o dinheiro a filha.

- Tomem cuidado.

- Pode deixar, eu cuido dela. - Disse Justin sorrindo-

- E quem vai cuidar de você? -brincou (sn). -

- Não vou cuidar mais de você. -Justin também brincou. -

- Ok, chega vocês dois. -Riu-

Os dois se despediram e saíram da casa. A floricultura não ficava muito longe. Na verdade, era bem perto. No final da rua, basicamente. Só precisava andar uns minutinhos. Enquanto andavam em silencio, Justin resolveu puxar assunto.

- Então....

- Então... -Continuou. -

- Tá brava comigo? Você sabe, pelo lance da Nora...

- Acho que vocês deveriam brigar menos, mas não estou brava com você. -Disse olhando para ele. -

- Certeza?

- Sim, por que?

- Está quieta hoje -deu de ombros.-

- E?

- Eu te conheço melhor do que imagina, Anjo.

- Me conhece nada.

- Aé? faz uma pergunta, qualquer uma.

- Minha cor favorita?

- Roxo.

- Comida?

- Macarrão a bolonhesa. O mesmo que o meu.

- Musica favorita?

- Mirrors, a nossa musica.

- Meu passa tempo favorito?

- Ler livros.

- Meu sonho?

- Sonha em sair de Londres.

- Ah, isso todos sabem.

- Não, a maioria não sabe. Mas eu sei uma coisa que ninguém sabe. Nem você sabe que eu sei.

- O que é, então, senhor-sei-de-tudo.

- Você morre de medo de aranhas. -Gargalhou. - Não conta para ninguém por que tem vergonha e acha que vão rir de você. Acha que ninguém sabe, mas a verdade é que eu sei. Um dia você murmurou isso enquanto dormia. -Riu. -

- Olha Bieber, você é um idiota. -Resmungou. -

- Eu disse que te conhecia. -Riu da cara da menina. -

- Eu também te conheço, me faz qualquer pergunta.

- Meu sonho?

- Ser cantor.

- O que gosto de fazer no meu tempo livre?

- De dormir e comer.

- Minha matéria favorita?

- Nenhuma.

- Quem eu mais amo na vida?

- Seu cachorro, o Sammy.

Ele riu e olhou para ela:

- O melhor momento da minha vida?

- O dia em que você me conheceu. -Sorriu convencida. -

- Você se acha muito, Anjo. Mas é verdade. -riu. - Se isso fosse uma prova, você tiraria 9.

- Eu errei alguma coisa?

- Sim, eu amo o Sammy, mas a pessoa que eu mais amo na minha é você, Anjo.

Ela olhou para ele vermelha enquanto ele ria. Foi até ela e a abraçou de lado. E então finalmente chegaram a floricultura.

- Que flor vai comprar? -Disse Justin. - Rosas?

- Acho que sim.

- Tudo bem, então...

- Moço, eu quero um buque de rosas vermelhas colombianas.

- Aqui, senhorita Fray. - O senhor sorriu e entregou a ela. -

- Obrigada.

- Obrigada você e volte sempre.

A menina deu um sorriso ao vendedor e voltou a caminhar. Com Justin ao seu lado. Sempre. (Sn) achava engraçado a amizade dos dois, eles eram tão diferentes... Mas deve ser por isso que eles se davam tão bem, pois completavam um ao outro. Ela carregava o buque de flor cuidadosamente enquanto Justin a observava. Ele sempre a observava. Gostava de ver seu rosto, suas expressões, seu sorriso... Ela olhava para o buque de rosas encantada. Foi ai que Justin teve uma ideia.

- Já volto. Fique aqui.

E então saiu correndo disparado a floricultura, antes da menina responder. Chegou lá em segundos. Tirou do bolso umas moedinhas que tinha, que sua mãe tinha dado a ele para economizar para comprar algo que ele quisesse. Ele pegou e entregou ao homem. Ele assentiu e Justin foi escolher uma flor. Tinha varias variedades, tantas cores.

Justin pensou em dar uma rosa, mas era muito comum. Tulipas? talvez. Passou por Lírios e parou. Talvez, mas não era seu estilo. Caminhou mais até a prateleira de orquídeas. Tinha de todas as cores possíveis. Roxas, amarelas, negras...

- Acho que ela vai gostar dessa. -O senhor disse apontando para uma orquídea branca.- Significa amor puro.

O Justin olhou para flor e não teve duvidas. Seria aquela. Aa flor era branca, mas com detalhes lindos. Era igual a ela, diferente de todas as outras, única.
Pegou a flor, agradeceu ao dono da floricultura e saiu correndo aonde ela estava. (Sn) continuava lá, já irritada com Justin por ter lá deixado sozinha.

- Sei que está brava comigo por eu ter te deixado aqui, mas foi por uma boa razão.

- Aposto que foi. -disse irônica, ainda irritada. -

- Aqui está, para a senhora estressadinha.

Ele deu um sorriso de lado e tirou de trás dele a flor. Os olhos de (sn) brilharam como duas estrelas. E então ele viu que mesmo que ele tenha tido que  correr, que mesmo que tivesse gastado seus dinheiro que estava juntando, ao ver aquela sorriso perfeito, os olhos que ele tanto amava brilhando, ele soube que valeu a pena.
Tudo valia a pena quando o assunto era ela.

----------------------------------------------------------------------------------------------------
Tá grandinho esse cap, até. Mas e ai genteee, faltei essa semana toda na escola por que a maioria da minha classe foi para o med, ai que semana boa <3 Justin, você é perfeito. Preciso de um melhor amigo igual a você. skasaosk. Enfim, quem ai tem twitter? Me passem para eu seguir vocês. Comentem e quem quiser ler You're my Dream em versão interativa... Aqui ;)

Respostas dos comentário ---> Aqui, baby

Desculpem pelos erros ortográficos

5 comentários:

  1. OMG :') ESTÁ LINDO, ESTÁ FOFO, ESTÁ ENGRAÇADO.... ESTÁ PERFEITOOOOOO *---*

    CONTIUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

    ResponderExcluir
  2. ai meuDes quero um melhor amigo assim. Cara eu sou muito sentimental e comecei a chorar desdeda parte que o Justin deu as moedinhas dele, meu Deus que fofura estou muito ansiosa pelos proximos capitulos, vc nem faz ideia. E desculpa nao comentar os outros e o comentario pequeno, mas é que sempre deixo pra comentar sua ib pelo computador (pra fazer um big comentario do jeito que vc gosta), mas eu nunca leio ib pelo computador e sim pelo celular e é horrivel digitar, ai estava esperando eu ler pelo pc ja que isso nao aconteceu estou comentando pelo celular mesmo pra mostrar que estou lendo. Bom é isso está tudo perfeito, continua logo. Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Eu também chorei! Esse capitulo foi tão meigo... tão delicado.
    A parte que eu mais amei foi
    ''ele soube que valeu a pena. Tudo valia a pena quando o assunto era ela. '' tipo, ai meu emocional

    ''A flor era branca, mas com detalhes lindos. Era igual a ela, diferente de todas as outras, única.'' tipo, ai minhas estruturas.

    ''- Minha matéria favorita?
    - Nenhuma'' gRITEI

    Entende o que eu to falando? É que sua fic tem comedia, romance, tem tudo! E eu amo ela. E olha que tá no cap 3 ainda. haha

    bjs, luv

    ResponderExcluir
  4. Esta MUITOOOO fofo!!!!!
    Não me conformo com tanta fofura em um capítulo só!!!! Como é possível??
    Estou apaixona por esses dois pequenos *-*
    CONTINUA O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL
    Beijos com SWAG <3
    -Hayley

    ResponderExcluir
  5. Ooooooooooooowt esses dois sao apaixonantes cara
    sao crianças e falam td maduros oia u.u ehehehhe]tipo to atrasada ainain
    Mas ta perfeitão aqui <3333 sos vou infarta *------* hehehe
    continuaaa

    ResponderExcluir

obrigadaaa por comenta
espero que tenham gostado bjbj